agosto 29, 2006

A cura do "Cigano"

Depois de na passada sexta-feira, no jogo de abertura da tal Liga etc., o cigano tripeiro ter rachado a queixada num lance posterior à famosa "abertura do côco do adversário" protagonizada pelo Jorginho, o Benfica até Morrer foi à cidade de Gaia visitar a pocilga, desculpem, o centro de "desmonte automóvel para treinadores com nome de parte do corpo que serve para cagar" do Fóculporto, ver como correm os tratamentos à mandíbula inferior do jogador azulado.
À chegada estavam as camadas jovens a aquecer no campo nº 3.
















Depois de uma curta vistoria à evolução dos "assadinhos é que era" dirigimo-nos ao departamento médico onde se procedia ao tratamento do pobre animal "que habita em barracas e vende cestos de verga perto dos super-mercados". Lá estava ele...












Após uma primeira lavagem, diga-se a primeira de há muito tempo, o doutor residente tratou de aliviar a pressão sanguínea que tanto atrapalhava na procura da fractura do osso da bocarra do bicho.













Depois de longas horas de trabalho lá volta janota o jogador com aquele sorriso de quem já se encontra em condições de poder vestir as cores do clube que o incentiva a usar os cotovelos no jogo feito para usar os pés.












Pouco depois começámos a ouvir uns roncos descontrolados de um animal bem maior que corria em direcção à redacção do Benfica até Morrer, ao dislumbrar o Sr. Pintelho nas Costas tivemos de zarpar o que acabou por ser bom, uma vez que o ar fétido daquela zona estava a causar náuseas a quem está habituado a ambientes de qualidade não corruptível. Em breve será lançada uma linha de ajuda telefónica para as pessoas que tiverem de viver os momentos agonizantes a que estes repórteres estiveram sujeitos.

PNV

2 comentários:

Porto é merda disse...

É terrível. Bem sei o que sofri aqui há atrasado. Certa vez fui a Mirandela, cobrir uma reportagem sobre estes espécimens, quando de repente, vindo de nenhures, como se criatura do demo se tratasse, me aparece uma besta com umas alheiras de todo o tamanho!
Noite brutal de vinho e sueca!
É que foi encher nos enchidos. Nem foi preciso Catarinas a servir "salgados" pelo rego do bujão!

antitripa disse...

Aposto que assim já não lhe dói o maxilar....eheheheheh.