março 05, 2010

Geração rasca...



Esta expressão nasceu quando o Sr. Vicente Silva em 1994 decidiu publicar um artigo sobre todos os jovens portugueses que se manifestavam contra as políticas educativas e o aumento das propinas.

Pessoalmente eu prefiro dar outra conexão à expressão e associá-la a todas aquelas pessoas que vivem o Benfica como uma simples escolha e se deixam levar pela mediocridade da conjectura futebolista ao que o nosso País nos habituou.

O Benfica é, foi e sempre será o maior clube Português e esta “geração rasca” tem que acordar para a realidade desta grandeza e não se deixarem cair na tentação de querem um Benfica simplesmente ganhador, mas sim um Benfica dominador, um Benfica Europeu, um Benfica Mundial.

A meu ver, a maior solução para ultrapassarmos esta “geração rasca” deveria começa com os “dinossauros” a engolirem o orgulho individualista de terem vivido numa época demolidora do BENFICA e “educarem” esta geração para o que realmente este BENFICA representa, representou e representará.

Por onde começar? Muito simples, dando relatos da sua experiência ou até mesmo através da divulgação da história do Benfica e porque não começar pelo ÍNICIO…

Eu ajudo…

Em 1904 nas traseiras de uma farmácia em Belém “Farmácia Franco” foi fundada por um grupo de amigos o clube Sport Lisboa que servira de base moral para o Benfica dos nossos dias. Destas ideias deste grupo de amigos, de onde se destacava Cosme Damião, surgiram muitas que ainda hoje se mantêm como a cor do equipamento e o GRANDE lema “E Pluribus Unum” que significa literalmente “de todos, um” mas na realidade o significado que os fundadores querem passar é “entre muitos, um”, ou seja, entre “MUITOS”, há um que se destaca; esse “UM” é, obviamente, o Benfica.

Este lema tem também outros significados de entre os quais “Todos por um” que em muito simboliza o verdadeiro amor pelo nosso Benfica. E para quem não saiba o verdadeiro sentimento por detrás deste lema este ficou patente em 1954 quando inúmeros associados e simpatizantes contribuem através de doações ou mesmo oferta de trabalho para a construção do estádio denominado Estádio da Luz ou a CATEDRAL do futebol.

Pessoalmente deixo-vos a história que me marcou e me ajudou a entender o que é o Sport Lisboa e Benfica.

"Decorria o ano de 2003 mais precisamente 25 de Outubro e lá estava eu na inauguração do novo estádio da Luz, quando nos micros do estádio se anuncia a presença de sua Exa. Durão Barroso na altura primeiro ministro, e como não podia deixar de ser todo o estádio começou a assobiar impossibilitando assim o discurso do homem, nisto no micro surge a voz de um GRANDE HOMEM Sir José Fialho Gouveia (R.I.P) e diz “O BENFICA SABE RECEBER” e de assobios passou-se a ouvir uma enorme salva de palmas e o homem lá discursou. Moral da história, o Benfica é, foi e será uma instituição sabe respeitar, sabe receber, sabe ouvir, sabe falar, sabe estar, sabe agradecer ou seja SABE ESTAR."

Em modo de remate solicito a um incalculável numero de blogs sobre o grande Benfica que demonstre a esta “geração rasca” as verdadeiras garras desta águia.

4 comentários:

Dylan disse...

Está de parabéns o maior clube português. Fundado em 28 de Fevereiro de 1904 numa farmácia dos arredores de Belém, o Sport Lisboa e Benfica comemorou recentemente 106 anos. Durante muito tempo foi a bandeira do país, dos emigrantes, do êxodo colonial. Interromperam-se guerras em África para acompanhar os seus jogos porque Eusébio e Coluna cativavam admiradores das duas facções beligerantes. O vermelho arrebatador, de paixão, de homens extraordinários como Manuel Goularde, Cosme Damião, Joaquim Bogalho e Borges Coutinho. O Benfica teve dirigentes perseguidos pela ditadura e o primeiro hino do clube foi alvo de censura. Permanentemente de casa às costas, viu tardiamente o seu estádio ser construído apenas com sacrifício dos sócios, da solidariedade, imagem de marca dos estratos sociais mais humildes e de raízes operárias. O mais popular dos clubes portugueses caracteriza-se pelo ecletismo das suas modalidades. A mística - entranhada na pele de figuras como Carlos Lisboa, António Livramento, Eusébio, Guttman e José Maria Nicolau. Actualmente, o clube do mundo com mais sócios, desperta ódios e invejas, mas ao mesmo tempo consegue ser um expoente de modernidade pois desenvolveu um canal televisivo, uma Fundação, construiu parcerias estratégicas e um estádio novo.

http://dylans.blogs.sapo.pt/

Pablo Aimar disse...

Este texto faz-me recordar a gravação audio que está no hi5 dos No Name. Um grande retrato da velha guarda, onde agora quem vai para as claques é so para arranjar porrada, e nao apoiar o grande Benfica.

Vamos rumar ao titulo!

Anónimo disse...

excelente post !

Poxa !

Tao novinho e tao sabedor !

Como dizem os franceses : "o valor nada tem a ver com a idade !"

Parabéns !

Shor baioun !

ziabloO disse...

Excelente artigo!!!