maio 06, 2008

Assim vão os novos "grandes" do futebol nacional...


"O regresso dos adeptos do Leixões de Setúbal, depois da derrota perante o Vitória local, foi tudo menos pacífico. Os autocarros que transportavam as pessoas afectas ao clube de Matosinhos foram atacados com pedras e garrafas arremessadas por adeptos do V. Guimarães na área de serviço de Pombal. Daí resultaram ferimentos no condutor de um dos 23 autocarros, para além de vários danos materiais e um enorme susto.


O Leixões garante ter-se tratado de ataque premeditado (recorde-se que a equipa regressava de Setúbal, enquanto o V. Guimarães voltava de Lisboa), até porque houve perseguição de carros com adeptos vimaranenses no trajecto da auto-estrada. Ora por isso o clube de Matosinhos exige explicações das forças policiais pela forma como permitiram que tal acontecesse.


Em comunicado, o Leixões diz que «tendo em conta a gravidade da situação», o clube «vai interpelar as entidades competentes, no sentido de apurar por que razão não foram tomadas as medidas necessárias para proteger os adeptos, bem como as viaturas em que seguiam». O comunicado acrescenta que «actos como os verificados ontem terão de ser definitivamente erradicados e os seus responsáveis exemplarmente punidos»."

in maisfutebol.pt


Eu até vos digo que achava alguma piada ao facto do pessoal de Guimarães ser tão "agarrado" ás equipas do seu clube, em todas as modalidades.

Achava piada porque dava aquela noção de aldeões primitivos que defendem de forma medieval as muralhas do seu minúsculo castelo evitando invasões virtuais de inimigos imaginários... Achava eu que era assim uma espécie de colecção pessoal de um interesse mesmo bacoco, mas no panorama de um país dominado por 2 ou 3 clubes, era engraçado ver as gentes do castelo e os seus movimentos fofinhos mas determinados.

Sabia também que por norma, tudo o que não fosse Guimarães, estava bem tramado quando tivesse de ir jogar ao estádio dos anões fofinhos... Mesmo sem motivo, os enigmáticos seres pseudo grandes, sacavam das suas pedras ou faquinhas e sempre que possível lá estragavam uns vidros ou esfaqueavam uns adeptos adversários.

Lembro-me também de um tal cordão humano formado pelos anões medievais do castelo fantasma, no dia em que os menores iam defrontar o ENORME, facto que funcionou uma vez que ganharam, mas que estava prometido que esse cordãozinho humano seria para repetir jogo após jogo para empurrar a equipa para a manutenção... como só cumpriram contra o Benfica, desceram e bem...

O que eu já não recordava muito bem é o feitío merdoso desses anões do futebol nacional... Os auto-denominados "novos grandes" afinal tornaram-se mais anões do que alguma vez foram. Medidas como as descritas em cima só revelam pequenez intelectual e principíos desportivos deformados. Esta gente não presta e deveria ser banida do panorama desportivo nacional... Ao menos, o próprio clube anão, deveria identificar e expulsar os animais que cometem delitos após delitos!

Virem-se para dentro das vossas muralhas e rebentem-se uns aos outros, porque se a união é realmente uma força, no vosso caso a força está a toldar-vos a razão e pode ser que um dia se vejam sozinhos e aí....

3 comentários:

Anónimo disse...

Excelente. Subscrevo por completo.

Saudações Leixonenses!

Anónimo disse...

um nao sabe das facadas dadas pela claque lisboeta quando foram a guimaraes, o outro prefere esquecer as garrafas, pedras e bilhas de gas (sim, bilhas de gas!!) que no seu proprio estadio atiraram aos vitorianos...... pois bem

j.santos

lagartomortodefome disse...

J. Santos:

Deves ser um anjinho! Ainda bem que assumes a tua posição de anão fofinho...