junho 09, 2008

Em cheio

Fim de semana verdadeiramente glorioso. E, por falar em glorioso, é por aí mesmo que vamos começar.

O nosso Benfica, o eterno glorioso, recebeu no passado sábado o fóculporto naquele que era o segundo jogo para o apuramento do campeão nacional. E em relação ao primeiro jogo há a destacar três diferenças básicas: a fraca afluência do público, a presença de contingente policial e, mais importante, a vitória do glorioso. Agora vamos de novo ao antro com o receio óbvio de quem se apresta a deslocar-se, uma vez mais, a uma zona terceiro mundista.

No futsal fomos a Loures encavar o sportém por 6-4. Uma vez mais tratou-se de uma vitória merecidíssima, como são todas as vitórias do glorioso. Assim basta vencermos o segundo jogo, na Açoreana, para garantirmos a final. No caso improvável de derrota o terceiro jogo será ainda no reduto das águias pelo que os ingredientes para o sucesso estão todos lá.

No futebol, no escalão juvenil, o glorioso sagrou-se campeão nacional ao derrotar o fóculporto calando assim, uma vez mais, as vozes críticas, internas e externas, que nunca se cansam de afirmar que os escalões de formação não fazem nada!
Já agora e uma vez que estamos a falar de jovens, uma palavrinha acerca da promessa André Carvalhas, se ele diz que quer ficar no Benfica é porque vai ficar no Benfica e ponto final.

Por fim, a selecção. Não podia esperar início melhor. Uma vitória segura e, mais importante, uma exibição com carácter. Para além dos óbvios 3 pontos, esta vitória serviu também para acalmar o nervosismo típico de quem mantinha sérias dúvidas em relação ao que a selecção poderia vir a fazer. Cá para nós, não me excluo desse lote de desconfiados.
Pepe, o bratuga, silenciou o meu descontentamento por vê-lo na selecção... pelo menos naquele jogo. E até me levou a exultar por duas vezes.
João Moutinho, o 10, com aquela exibição de encher o olho comprovou o que sempre desconfiei. O gajo é benfiquista desde pequenino e o Rui Costa deve ser o seu ídolo. Que jogo puto... e que pulmões!
Petit, o pitbull, varreu o meio campo, a defesa e ocasionalmente alguns sectores de relva. O homem esteve imparável no primeiro jogo daquele que será o seu último europeu ao serviço da selecção nacional.
Quanto aos restantes jogadores julgo que se exibiram todos num plano acima da média, incluindo o Paulo Ferreira, o Deco e o Nuno Gomes que terão sido os elos mais fracos na vitória ante os turcos.
Agora resta-nos esperar por quarta-feira e ver se aquela exibição é para repetir. Se assim for, esperam-nos alegrias daquelas...

4 comentários:

Anónimo disse...

Slb, Slb, Slbbbbbbbbbb, glorioso, Slb, glorioso Slb...

zey disse...

Sr. LF2P, o Nuno Gomes das exibições mais modestas?
Foi dos melhores em campo.
Abraço glorioso.

lf2p disse...

Fez uma exibição bastante boa se tivermos em linha de conta o que tem vindo a fazer no glorioso mas ainda assim não creio que se possa dizer que tenha sido dos melhores.
Mas a beleza do futebol é esta. Todos vemos o mesmo... interpretamos é de forma diferente.

Um abraço grande ZEY

Anónimo disse...

Meu caro,

A equipa funcionou como um todo e se há dois jogadores que não se destacaram tanto, foi para razões que eles não são responsáveis.

1) Paulo Ferreira é um bom defesa direito e um menos bom defesa esquerdo. Mas é o melhor que temos.

2) Nuno Gomes jogou bem, mas com uma tática que o abandona na frente. Quando foi chamado a intervir teve 2 bolas nos postes e 1 excelente assistência. Nuno Gomes é o melhor que temos... e mesmo Pauleta pouco conseguia fazer nesta tática.